quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Mesmo Que Ela Fosse Criminosa...



O mais assustador é que isso se repete nos dias atuais e não adianta negar.



E aos que ainda enchem a boca para falar que o delegado da corregedoria Eduardo Henrique de Carvalho Filho, o que despiu a moça a força, agiu bem e que era um policial com honra e por isso ficou tão inconformado com a corrupção da colega que estava manchando o bom nome da polícia ao ponto de agir forma emocional e sem pensar nas conseqüência, bem, então vejam o vídeo abaixo.

3 comentários:

  1. É Dani... o tempo passa e a maioria das pessoas insitem em cometer os mesmos erros, a falta de respeito sem dúvida é o pior ato de violência contra o ser humando. Quase tudo de ruim que existe no mundo é consequência da falta de respeito no sentido mais literal e pleno da palavra RESPEITO. Fiquei tão triste com esse caso da policial, e realmente senti vergonha alheia, vergonha de não podermos confiar sequer nesse que "servem" de proteção as pessoas. Como você colocou no título, ela poderia ser uma criminosa, mas nada do que aconteceu a ela justifica tamanha brutalidade. Fico enojada com coisas como essas. Triste mesmo.:( (eu reencaminhei o post, pois eu tava tão chateada que nem revisei os erros de digitação)

    ResponderExcluir
  2. Verdade Nanny, e é um absurdo que em pleno século XXI ainda temos que nos desgastar nessa discussão.
    Isso que aconteceu é errado e ponto!
    E criminoso por criminoso todos os envolvidos nesse caso são, o delegado usar como desculpa ela ser criminosa para cometer um ato criminoso é um contrassenso absurdo tão grande que chega a ser ridículo quando alguém tenta defender as atitudes bizarras da nossa polícia.
    Tenho que confessar que sinto pena quando alguém começa a frase: “Mas você tem que entender que ela cometeu um crime e blá blá blá...”
    Essa é aquela típica pessoa apática, que age por reação, que não assume a responsabilidade por seus atos, que faz porque os outros fizeram.

    “Não importa o que as circunstancias fazem do homem, mas o que ele faz do que fizeram dele”
    Sartre

    ResponderExcluir
  3. Claro que ouve excesso, óbvio. Abuso de autoridade total. Mas ela DEVERIA ter se entregado, acho que ficou tentando ganhar tempo para se livrar do dinheiro, nao sei porque nao se entregou logo. Isso é comentado hoje, mas no futuro, do jeito que a criminalidade aumenta, estaremos implorando por tratamento à-la oriente médio aos bandidos que CEIFAM A VIDA DE NOSSOS AMIGOS E FAMILIARES. Quem opta pelo mundo do crime, analogicamente esta se comportando como um rato, que só traz malefícios à sociedade.

    ResponderExcluir